quarta-feira, março 02, 2005

O Padre e o aborto...

Parece que hoje saiu nos jornais um anúncio pago por um padre que diz que não dará a sagrada comunhão a alguém que defenda o aborto, tome a pílula ou qualquer tipo de contraceptivo, sem que a mesma se confesse e arrependa de tal facto. Está a provocar muita polémica, mas acho que o senhor tem razão. Se a Igreja não concorda com tudo isso, por que é que as pessoas hão-de receber a comunhão. Acho que ele só está a ser coerente e a pedir coerência. Não sou católica, nem praticante. E já que há pessoas que são praticantes, mas não católicas, acho que este padre tem o direito de tomar esta atitude. Não acham?

7 comentários:

Atalaia disse...

200% de acordo. Quem quer, quer, quem não quer muda de clube. A única coisa para a qual não via necessidade é a publicação do anúncio. Mesmo assim, se foi publicado é porque havia dúvidas - o que a julgar pela polémica se confirma.
Polémico parece-me antes as reacções temerosas da igreja... será que o vão castigar ou reeprender por dizer o óbvio???

CM disse...

Olha lá, e o gajo explica como é que identifica uma crente que tome a pílula? O facto de não ter filhos não é sinal de tomar contraceptivos- será que ele vai começar a castigar crentes infertéis? não estou a ver como é que o senhor padre vai apurar esses factos. Quanto ao resto concordo plenamente. As pessoas têm que se aperceber que ser católico quer dizer não utilizar qualquer tipo de contracepção, ser contra o aborto, ser contra os direitos e a emancipação das mulheres e outras modernices do género. Se não concordam deixem de ir à missa pra mostrar a roupa nova de Domingo.

D. disse...

Ele não consegue adivinhar, mas acho que é mais um "ponham a mão na consciência" do que outra coisa. Mas os católicos têm de se mentalizar que aquilo não é só ir mostrar a roupa ao domingo como tu dizes, nem fazer brutos casamentos muito lindinhos...

Anónimo disse...

Caros amigos eu não estou de acordo convosco.
E posso falar à vontade por que não sou católico.
Não estou de acordo porque o papel do padre é prestar a eucaristia que consiste numa ritualização da ultima ceia de Cristo. E esta é a função mais importante do padre. Independentemente das opiniões que o padre tiver sobre as coisas ou sobre as pessoas , o Padre ao dar a hóstia aos católicos , na realidade esta a “encarnar” Cristo. Para os Católicos comer a hóstia é receber de Cristo a Salvação. Ora que se saiba, Cristo não disse nada de especifico sobre o aborto, a pílula ou a inseminação artificial.
A igreja tem vindo a mudar de opinião ao longo dos séculos e as opiniões da igreja são conjunturais. Os católicos sabem disso. A eucaristia, não é uma opinião, é a base do ritual da missa. Um homem pode ser católico, ir à missa, tomar a eucaristia, acreditar em Cristo e na sua mensagem, acreditar que partilha do amor de Cristo com a eucaristia, e conservar as suas opiniões diferentes das opiniões da igreja. Nenhum padre tem o direito de lhe recusar a hóstia.
Os padres são delegados de propaganda. Não podem ser executores de sentenças.
Esse padre está a por à frete da sua função principal que é difundir a mensagem de deus, a função de difundir a mensagem dos homens. Este é o mais grave pecado que um padre pode cometer. A pena da igreja católica romana para esse pecado é a excomunhão.
De resto sou contra.

HM

D. disse...

Cristo não disse nada sobre estes assuntos, mas a Igreja disse... E o padre trabalha para a Igreja não para Cristo. É desse princípio errado que não podes partir. A Igreja não tem nada a ver com Cristo, esse foi só o inspirador da empresa... nunca foi CEO, como dizem os americanos...

CM disse...

Ouve lá migo, agora compraste acções do Banco do Vaticano ou quê?

Anónimo disse...

nepia.
Ando numa fase mistica.
beijinhos
HM