quinta-feira, julho 06, 2006

A bola.

Não curto bola, não tenho paciência para estar 1h30 especada em frente ao televisor a ver a bola quando posso estar a fazer coisas mais interessantes, do género: passar a ferro, arrumar a louça na máquina, ou realmente interessantes, como: brincar com o ZP ou jogar à bola com o ZP e a Cyka no corredor. Mas... há coisas que me fazem correr para o sofá: aquela cena dos penáltis... curto bué a emoção de quando o jogo é resolvido a penáltis!!!!! Não sei porquê...

Outra questão que me atormenta é aquela coisa dos intelectualóides contra os barriga de cerveja...

É assim, os barriga de cerveja gostam de ver a bola e de festejar depois, na rua, com a...pita...delas ou a acelerar a Famel... é um problema deles... Eu por acaso até gosto de ir para a rua ver a festa quando Putugal (é assim que se diz cá em casa, por influência do ZP) ganha... foi um hábito que ganhei quando estava grávida e tinha de andar... apanhei todos os festejos do Euro, inclusívé o da final. E isso é que é fixe... Quando Portugal perde também se festeja, por termos conseguido chegar tão longe... Era esta atitude que eu gostava que o pessoal aplicasse a outros aspectos da vida. Que andasse motivado e acreditasse que isto pode ir mais longe (eu tb não acredito, mas podíamos tentar, NÉ????).

Os intelectualóides, por seu lado, são os eternos nhaca nhaca nhaca.... Não gostam disto, não gostam daquilo... Os outros nunca prestam... Só as suas opiniões é que são válidas, todas as outras são mal esclarecidas... nhaca nhaca nhaca nhaca nhaca nhaca nhaca... Mas sinceramente eu acredito que todo o intelectualóide acaba por ligar o seu radiozinho de pilhas - daqueles antigos que a maior parte deles desconfia das tecnologias - para óvir o relate!!!!

Quanto ao Portugal-França, pois lá nos f******, mas pronto fica para a próxima que a culpa foi do árbitro.


Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal! Putugal!

Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk! Monk!

Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm! Vrummm!

6 comentários:

Sostrova disse...

Para tu informação pode não se gostar de bola, gostar e cervejas e mindoins e detestar os intlectuais. Todas as generalizaçoes são perigosas. A mim o que mais me chateia nas merdas das foteboladas é o nacionalismo associado, as putas das bandeiras e o cabrão do hino. Isso é que me deixa reamente lixado.

Atalaia disse...

espero que isso dos barriga de cerveja não seja comigo!!!

:)


Ai ai Ai ai!!!

blimunda disse...

concordo contigo gaja!

CM disse...

Eu também concordo (como não podia deixar de ser, aliás..) Não fui festejar na rua a vitória da Itália - tive medo que me carbonizassem o carro-mas a gritaria cá em casa foi tanta que a vizinhança deixou de nos falar. Não percebo muito bem como é que o futebol aqui passou de ópio do povo a obrigatório desde a vitória aos portugueses...Afinal isto é a mesma merda em todo o lado.

D. disse...

Sostrova, aquilo de nacionalismo não tem nada, é como torcer pelo Glorioso Barreirense, pelo Benfica ou pelo Sporting. O que o pessoal quer é festa. E têm a oportunidade de ser todos do mesmo clube e não andar a arranjar molho no final do jogo.

MissRita disse...

D. és a maior!
;)